Cerulean Realms

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Segredos guardados, enfim revelados...

Passei tempo demais perdendo meu tempo,
Todas as promessas feitas, promessas que nunca imaginei cumprir,
Foram usadas como desculpa, desculpa para seguir em frente
Apenas um meio para se alcançar o objetivo.
Qual objetivo? Eu nunca soube.
Eu nunca amei ninguém, embora tenha me declarado diversas vezes,
Foram sentimentos eternos, mesmo durando poucos instantes,
Sentimentos abafados pelo desejo que consome e solidifica o coração.
Nunca sofri por ninguém e poucas vezes me importei
Não me importei, muito embora não tenha deixado que ninguém fosse esquecido.
Algumas vezes me deixei cair e caí para mostrar que estou vivo
E que estando vivo posso sentir, sentir cada sensação que o mundo me passa.
Mas nunca deixei que vissem dentro de mim, sempre usei máscaras
Máscaras que me faziam mais forte, mesmo estando tão fraco.
E os erros cometidos só serviram para me abrir os olhos,
Pra mostrar que existir não é fácil e minhas escolhas podem destruir conquistas.
Por isso eu vivo o dia como se fosse o ultimo, pra não me deixar perder
Pra não deixar que o medo da escolha errada me limite o sonho.
E com o tempo eu aprendi sobre o sentimento genuíno, sobre sentir algo verdadeiro
Algo que eleva o espírito e seduz o corpo.
Mesmo com inveja, inveja de quem ama sendo amado
É o desejo que me rouba em cena, que fecha as cortinas quando a peça acaba,
Que mesmo por um momento ou dois, acaba sendo imortal.
 
Cerulean Realms