Cerulean Realms

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015

Considerações finais...

Você e essa sua mania de aparecer na minha vida do nada, bagunçar tudo e então sair, simplesmente sair, como quem nunca esteve realmente aqui.
Mas sabe?
Eu até gosto disso, gosto dessa forma que você sempre aparece quando estou entediado e torna tudo em festa, acho realmente divertido a facilidade que você tem de me lembrar de que estou vivo e até de saber que não vou ficar devendo nada a você, nenhuma explicação, satisfação ou seja lá o que outras pessoas esperariam.
Você não espera nada disso porque você é livre, e eu?
Eu me sinto como se usasse uma droga, é, uma droga, sabe?
Eu consigo ver tudo dessa forma, você é como uma droga pra mim e eu sou totalmente viciado, então sempre que você chega é como se me deixasse alto, o mundo se torna uma alucinação e isso afasta todas as preocupações.
Pois é, eu poderia consumir você por completo e morrer de overdose com um sorriso bobo no rosto de satisfação e prazer.
Aí é que entra a parte que me deixa aliviado, saber que isso não é um problema, que não tem doses suficientes de você disponíveis pra mim que possam causar isso, a verdade é essa: Sempre que você vira as costas e vai embora, você me poupa de um peso enorme.
Claro! A abstinência é sempre ruim, mas e daí?
Se eu parar pra analisar fica claro que cada dose vale o peso, afinal eu sou viciado em você, certo?
Então eu realmente não me importo, até porque é essa sua mania de sumir sempre que cansa de mim que mantém o meu vicio controlado.

Acho que é isso, no final das contas você é tanto a droga que me alucina e vicia quanto o remédio que me poupa e livra.

Um comentário:

Roberta Albano disse...

Como eu sinto de compartilhar sentimentos dessa forma. Conhecer como alguém está de verdade...

 
Cerulean Realms